Previdência Privada Complementar – Você faz o aporte mínimo?

Previdência Privada Complementar – Você faz o aporte mínimo?

Você faz o aporte mínimo para a Previdência Privada Complementar da sua empresa?

Atualmente muitas empresas possuem Plano de Previdência Privada Complementar e estimulam seus funcionários a pouparem no longo prazo, o que é muito interessante! Já testemunhei clientes meus que se aposentaram e a previdência privada complementar que a empresa tanto incentivou ao longo da carreira deles foi o grande diferencial no momento da aposentadoria, foi o que trouxe a tranquilidade nesse momento de tantas mudanças.

Entretanto vejo muitas pessoas que tem a possibilidade de contribuir com a previdência privada promovida pela empresa em que trabalham, mas poucos o fazem ou só contribuem com o valor mínimo. Sempre vale a pena aportar o valor máximo que a empresa oferece, assim você aproveita melhor dessa renda extra.

A previdência privada complementar possui regras diferentes em cada empresa, mas geralmente tem vantagens e desvantagens que quero esclarecer nesse artigo.

Vantagem

A principal vantagem é que a empresa pode suplementar a contribuição do funcionário. Nesse caso a empresa define critérios em que irá contribuir junto com o funcionário. Por exemplo a cada valor que o funcionário contribui, a empresa contribui com o mesmo valor até um teto de 6%. Ou seja, se o funcionário contribui com 6% a empresa contribui com mais 6% para o funcionário. Isso é muito interessante, pois o funcionário tem a possibilidade de receber uma renda que ele não teria.

O percentual pode variar, existem diversas composições, algumas empresas colocam a contribuição em 6%, 10%, 12% e etc..

Desvantagem

Digo a possibilidade porque a empresa define também os critérios de pagamento, conforme o regulamento do plano de previdência complementar. É nesse ponto que está a principal desvantagem do plano. A empresa pode definir por exemplo que se o funcionário sai da empresa em menos de cinco anos ele não recebe nada do que a empresa aportou. Se sai entre cinco a dez anos, recebe 50% do que a empresa aportou e acima de dez ano recebe tudo o que a empresa aportou. Em todos os casos o que o funcionário aportou ele recebe integralmente incluindo o rendimento da aplicação. Esse é um simples exemplo para ilustrar a importância de conhecer bem o regulamento!

Vale lembrar que é importante analisar as opções de fundos disponíveis para escolher o fundo em sintonia com seu perfil de investidor.

A opção pelo PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) ainda traz a vantagem de deduzir as contribuições no limite máximo de 12% da sua renda bruta anual. É importante aprender a fazer a declaração de imposto de renda no modelo completo e aproveitar desse benefício corretamente.

Informe-se sobre as opções disponíveis em sua empresa pois essa ferramenta é muito importante para seu planejamento financeiro e vai fazer toda diferença lá na frente. Organize suas finanças e encontre seu equilíbrio entre viver o presente e os planos de longo prazo!

Viviane Ferreira.

Related Post

Leave a Reply